Quem Somos?

 

HABILITAR: Origem e Percurso

 

A ideia de formar um Centro Comunitário de Desenvolvimento Infantil e Juvenil – Habilitar – partiu de uma Pediatra da Unidade de Neurodesenvolvimento do Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV). Nas consultas desta Unidade são seguidas diversas crianças e jovens, com problemáticas igualmente diversas. No conjunto que designamos por Perturbações do Neurodesenvolvimento (PND) incluem-se diversas patologias, algumas mais conhecidas da população geral: perturbação do espectro do autismo, perturbação da linguagem, défice intelectual, entre outras. Síndromes como Trissomia 21, Síndrome de X Frágil, Síndrome de Williams, entre muitos outros, incluem nas suas manifestações diversas PND.

Quem acompanha estas crianças e jovens tem um olhar privilegiado, abrangente, ao contactar com a criança, com as famílias, com os educadores e professores, e com a comunidade em geral. Este olhar permite ver muitas falhas em cada um destes cenários: falta de recursos, dificuldade na execução de planos de intervenção terapêutica, falta de formação das famílias no que diz respeito à forma de lidar com o problema específico e aos direitos previstos, falta de formação da comunidade educativa, escassa sensibilização das crianças e jovens consideradas “normais”, falta de redes de suporte em períodos não letivos … basta estar atento e listar as falhas. E foi esta realidade que esteve na base da ideia do HABILITAR.

 

Os objetivos deste Centro Comunitário foram definidos por prioridades:

– proporcionar intervenção terapêutica específica (a um custo tendencialmente gratuito) aos casos considerados urgentes (maioritariamente de idade pré-escolar) sem possibilidade de uma resposta imediata;

– proporcionar formação (à comunidade educativa, às famílias, a técnicos de áreas relacionadas);

– promover a comunicação entre famílias e dotá-las de ferramentas e informação.

A população alvo era proveniente do CHBV e a inexistência de fins lucrativos foi desde o início um princípio chave.

O HABILITAR começou na Santa Casa da Misericórdia de Aveiro (SCMA) e aí permaneceu entre abril de 2016 e fevereiro de 2018. A inexistência de um financiamento que permitisse garantir a sua sustentabilidade levou à finalização do projeto enquanto valência da SCMA. Nesta altura, e porque o valor e a utilidade do HABILITAR estavam demonstrados, um grupo de pais e amigos juntou-se para impedir que este acabasse, nascendo a Associação Pais e Amigos Habilitar (APAH).

 

 

HABILITAR: Hoje

A APAH é atualmente uma Organização Não Governamental para Pessoas com Deficiência, com estatuto de utilidade pública e sem fins lucrativos. Persegue os objetivos iniciais, que vai colocando em prática de acordo com os recursos. Contou até ao momento com o apoio de algumas empresas. Têm atualmente intervenção terapêutica no HABILITAR cerca de vinte crianças, todas provenientes do CHBV, um número que vai mudando de acordo com as necessidades. A equipa técnica reúne periodicamente com a equipa hospitalar responsável e o plano terapêutico é revisto.

Têm sido organizadas ações de formação para públicos diversos, foi criado um grupo de ajuda mútua para pais e tiveram lugar vários encontros lúdicos. O nosso desejo é fazer muito mais num futuro próximo, tendo, contudo, consciência que o financiamento é o principal entrave. Mas à velocidade possível, pretendemos crescer neste movimento ativo pela inclusão e tornar a nossa comunidade ela própria mais inclusiva e atenta.

Inicialmente a funcionar numas instalações temporariamente cedidas por uma Associação amiga, o Habilitar dispõe agora de um espaço próprio, cedido pela autarquia.